Hormonioterapia na Sincronização de Estro e Indução da Ovulação em Éguas
Hormonioterapia na Sincronização de Estro e Indução da Ovulação em Éguas

Hormonioterapia na Sincronização de Estro e Indução da Ovulação em Éguas

Na espécie equina, há grande variabilidade na duração do período estral e no período entre seu início e a ovulação. As éguas são consideradas poliéstricas estacionais, ou seja, têm ciclo reprodutivo dividido em período de competência sexual (Estação reprodutiva) durante a primavera/verão e de incompetência sexual (Estação não reprodutiva) no outono/inverno, sendo esta característica marcante nas regiões onde há grande variação fotoperiódica durante o ano, fazendo com que fora desta estação elas apresentem períodos prolongados e anovulatórios (Transição de primavera e transição de outono), além do anestro que se estenderá de maio à agosto no Brasil, conforme Oliveira e Souza, 2003.

Faça o Login ou Cadastre-se

Esse conteúdo é apenas para membros

Leia também

Pesquisa